29
jul
10

Mayson – A História de um Desgraçado

Desde pequeno, exercito minha escrita. Meu pai usava a máquina de escrever e eu, pequeno, ficava no computador digitando qualquer coisa. São lembranças que eu nunca vou esquecer. Só tenho a agradecer meu querido pai. Se não fosse ele, não estaria cursando Jornalismo – embora não é o que ele queria, mas a culpa é dele! (risos).

Venho, então, sonhando. Todas as noites. Mas venho com um sonho maior: publicar um livro. Nos meus dezesseis anos, escrevi dois livros chamados Untitled (Sem Título). Produção (entenda juvenil) que influenciou muito meu gosto por escrever, meu modo de escrever e tudo mais. Os seriados influenciaram muito para que eu começasse a criar!

Haja mão para quem gosta de escrever. Se com o computador, precisamos de várias “mãos”, quanto mais os antigos que escreviam tudo no papel – e que obras!

Pois bem, essa coluna intitula-se “Mayson – A História de um Desgraçado”. Certa noite, depois de escutar e ler sobre o novo álbum do Green Day (21st. Century Breakdown), eu fui dormir e, na minha mente, logo veio:

– A história de um desgraçado.

Um cara “branquicela”, de olhos ímpares e acinzentados. Um fundo preto e algumas chamas atrás.

– Mayson.

Não me pergunte o motivo desse nome. Não agora. Simplesmente, Mayson!

E então, surgiu a história dele em minha cabeça. Já faz um ano que estou a escrevendo. Muitas pessoas já leram o primeiro capítulo, outras não.

Pois bem, divulgo aqui o primeiro capítulo do livro que publicarei! Sim, eu prometo: eu publicarei Mayson – A História de um Desgraçado!

***

01. A CORRIDA

         Do seu nascimento ele não pode dizer muito. Ele não era nem início, nem meio, nem fim. Talvez ele não fosse nada. Ou talvez ele nada fosse. Talvez ele fosse apenas um talvez.

         Ele se encontrava dividido em dois. Uma parte dele ficava numa bolsa e a outra parte em outra espécie de bolsa. Antes de ser qualquer coisa, ele já tinha vários irmãos. Não se dava para contar qual era a quantidade de irmãos, mas de uma coisa todos os irmãos, inclusive ele, estavam em dúvida: quem ganharia a corrida?

         O exterior era impossível de se ver. A única coisa a se fazer era esperar a vez de ser expelido para o mundo lá fora e ter esperança de ganhar a corrida. Antes mesmo de nada sermos, já temos de ter confiança e esperança. Considere-se um vencedor caro leitor. Foi lançada a partida. Todos foram expelidos para fora. Era definitivamente uma corrida. Alguns ficavam para trás, outros já eram lançados bem à frente. Ele foi lançado bem a frente, talvez seja por isso que tenha conseguido o prêmio.

         Eu nunca esquecerei de sua força para ganhar a corrida. Aquele pequeno e microscópico ser encontrou forças onde não podia mais encontrar. Quando viu se aproximando do final da corrida, sua força se multiplicou. Ele ultrapassou o número quatrocentos e sete milhões, depois ultrapassou o um milhão. Ultrapassou todos. Finalmente, quando era o número dois conseguiu se tornar um. Infiltrou-se. Entrou de cabeça na linha de chegada. Era hora de unir sua metade a outra metade e se tornar um só.

         O medo de todo gameta é ser ejaculado durante uma simples polução noturna. Todo espermatozóide quer aceitar o desafio. Todo espermatozóide quer ter a chance de encontrar sua metade, seu óvulo. Quem neste mundo não deseja encontrar a cara metade?

         Aquele ditado cômico faz sentido: somos vencedores desde que somos gametas. Minha mãe irá dizer, em breve, que todos nós temos um lado atlético, que só precisa ser encontrado.

        Agora eu estou em condições de se referir a ele como “eu”. Eu venci esta guerra. Estava se referindo a mim como “ele”, pois, tecnicamente, eu ainda não existia. Se prepare, eu sou muito detalhista. Quero lhe contar alguns detalhes de uma aventura de nove meses, mas, não se desconcerte, eu irei ser breve.

por Misael Mainetti

 contato: misaeljornalista@gmail.com

 twitter: @misael41

Anúncios

6 Responses to “Mayson – A História de um Desgraçado”


  1. 1 Nathalia
    29 de julho de 2010 às 12:39 pm

    Com certeza voce ira publicar seu livro e eu estarei na noite de autografos!
    E me lembrarei de quando voce levou na sala de aula para que eu pudesse ler!

    Beeeijos e sorte!

  2. 2 Fabi
    29 de julho de 2010 às 2:19 pm

    Esse Misael..me surpreende e me conquista a cada sentença que leio do que escreve!
    Já me sinto ansiosa prá acompanhar o crescimento do Mayson..

    XUXEXO PRA VOCÊ ! ahahah

    TE AMOOO!!

  3. 3 Fabi
    29 de julho de 2010 às 2:38 pm

    Significados subliminares pra ao nome..MYSON

    Mayson = Misael em inglês (se é que podemos dizer que existe tradução prá nome..Rsrs)

    Ou..

    -MAY-

    substantivo:

    maio
    exames em maio
    donzela
    moça
    espinheiro-alvar
    virgem

    verbo

    poder
    poder ser
    ser possível
    ter licença
    ter permissão

    -SON-

    substantivo:

    filho

    Bom..
    Isso é tudo, além de sabermos que é Um Desgraçado!

  4. 5 Drika Amaral
    29 de julho de 2010 às 2:50 pm

    Misa, libera ele em pdf -tipo um ebook- p os amigos :D:D:D
    Beeejo
    ps- qd for a noite de estreia eu posso fazer a matéria do lançamento? hahahahaha
    ps2- vamos fazer trocas literárias? *no bom sentido,tá?*

  5. 2 de agosto de 2010 às 11:10 am

    Naty, valeu pela força.
    Fabi, comentário criativo.
    Drika, se Deus quiser – e tu estarás lá!

    Beijo para todas, valeu mesmo xD


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Vanguarda

julho 2010
S T Q Q S S D
    ago »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Twitter

Fucking visits

  • 20,401 hits

É importante: Planeta Terra e sustentabilidade


%d blogueiros gostam disto: