22
jul
10

Seja singular, ímpar, exclusivo!

Tamanha alienação de uns, tamanho prazer de outros. É descontente notar a maioria dos jovens nutrida apenas de filmes “hollywoodianos”, músicas “fm-zadas” e conhecimentos gerais “orkutizados”. Alô-ô, tem alguém ai?

Na leitura, o erro já começa na escola. Quinta série não é momento de ler Triste Fim de Policarpo Quaresma (Deus do céu, não consegui ler esse livro) – minha quinta série foi shakesperiana, com Sonho de Uma Noite de Verão, bem cabível para o momento. A introdução dos livros acontece de maneira errônea e pressionada, dada a necessidade da leitura para o vestibular.

Não existe a motivação correta para que o aluno goste de ler. A motivação é errada! Perguntou-se se existe motivação errada quando o assunto é leitura? Com certeza! Quem tem o prazer de estudar mais de dez matérias, ler as atualidades e ainda por cima uns mils livros para o vestibular? A vontade é de entrar na “barca do inferno” do Gil Vicente e sair mundo afora!

E em casa a “coisa” já começa errada também! Os pais devem ler para os filhos desde crianças. Teoricamente, devem fazer isso. Falar em Machado de Assis quando se tem doze anos é uma chatice, mas só depende do modo como se fala. Ler e reler Dom Casmurro, por exemplo, permite várias interpretações.

Por que não introduzir a leitura com o nonsense? Sabe-se que As Viagens de Gulliver, Alice no País das Maravilhas, por exemplo, tem conteúdo nas entrelinhas, mas é um bom modo de introduzir a leitura! E o que dizer de A Fantástica Fábrica de Chocolates ou O Poderoso Chefão – que tal pegar para ler?

E que dizer dos vampiros do século XXI? Herbívoros e mais apaixonados que o comum – deviam frequentar os neuróticos anônimos. Nada contra a saga Crepúsculo – li todos os livros. É estranho ler sobre vampiros que não mordem e não mostram seus dentes afiados! Porém, há a possibilidade de uma criança que lê a saga Crepúsculo e a saga Percy Jackson vir a se interessar pelos clássicos Drácula, Entrevista com o Vampiro e livros mitológicos, como a Odisséia.

A indústria cultural e a mídia apenas incentivam o “culto massificado” – só apreciamos o que todos têm apreciado. Que dizer de música? Nada contra ouvir música mainstream, ou seja, as “tops” da parada Billboard. Mas, é  inútil se prender somente às FMs. De meia em meia hora é possível ouvir Baby do Justin Bieber ou Bad Romance da Lady Gaga. É hora de acordar, crianças, como diz Nenê Altro (da banda Dance Of Days) na música Insônia, baseada no livro 1969, na história de Winston. Observe quanto embasamento descobrimos quando pesquisamos – utilize as ferramentas de pesquisa do modo correto!

Pegar uma revista de música a fim de ler e conhecer novos sons significa “abrir os horizontes”. Dia desses, encontrei na Rolling Stone Brasil, a resenha do álbum de Cláudia Dorei. Pronto! Pesquisei, ouvi e conheci algo intitulado trip hop tropical. Daí, lembrei de ouvir Portishead e Tricky, que são puro trip hop. Falando em Tricky, lembrei de baixar o novo disco do Eminem, Recovery, que está no topo das paradas. Quantos links, pontes, ligações podemos fazer! Quanta coisa nova para conhecer!

Desse modo, nos tornamos pessoas singulares, ímpares, exclusivas e dotadas de personalidade própria e embasada, afinal, nada se cria, tudo se copia!

 por Misael Mainetti

 contato: misaeljornalista@gmail.com

 twitter: @misael41

Anúncios

4 Responses to “Seja singular, ímpar, exclusivo!”


  1. 1 Nathalia
    22 de julho de 2010 às 2:41 pm

    Eu ja te disse que voce vai ser um grande jornalista (isso tambem eh uma pergunta e desculpe a falta de acentos). Na verdade voce ja eh.
    Gostei do seu texto e gosto sempre.

    Parabens!

    Continue com toda essa inspiração!

  2. 22 de julho de 2010 às 8:52 pm

    Misa, você é um gênio! Concordo com suas palavras. Lembrei-me de um trabalho de Filosofia que apresentei no colegial: “A Influencia da Midia”. A base do trabalho foi a alienação adolescente e o controle das mentes.
    Embora eu tenha o livro Triste fim de Policarpo, confesso que ainda não li, hauha
    Porém, já fui à Barca do Inferno, vi de perto Dom casmurro, e A Odisséia, hau
    Crepusculo? Huaha, me livrei desta. Harry POtter apenas…
    Enfim, o que eu gosto mesmo é de Pedro Bandeira e Carlos Drummond…
    Acho que sou menos alienada que a maioria, huaha
    Beijo pra vc menino…
    PS: ALOKA! precisa dizer tanto? hauha

  3. 3 Lúcio
    22 de julho de 2010 às 9:42 pm

    Que Bom! hahaha

    PS: CONGRATULATIONS FOR UR CREATIVITY!

  4. 23 de julho de 2010 às 10:47 am

    Sammy, com certeza você não é mais do mesmo.
    Naty, obrigado. Ambos seremos.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Vanguarda

julho 2010
S T Q Q S S D
    ago »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Twitter

Fucking visits

  • 20,401 hits

É importante: Planeta Terra e sustentabilidade


%d blogueiros gostam disto: