30
set
10

Argumento, respeito, dialética e atitude

Todos contra o Lula! Essa sentença com um sujeito que é centralizado, mas apenas está descentralizado em citar nomes, diz bem o que está acontecendo nesses últimos dias (ou meses, anos). Alguns veículos de comunicação se colocam com dialética, exigindo que a imprensa seja livre, alegando que tentativas de controle da imprensa serão repudiadas! Esse “todos” que aqui escrevo, digo-vos, em ironia contínua: são tão santos, são tão imparciais! Nunca tentaram controlar a opinião pública. Não tentam, não é?

Confesso que eu ainda não tive a oportunidade de ler, mas sei que a Folha e o Estadão se colocaram contra o Lula. Ou eu estou me expressando mal. São veículos de comunicação imparciais. O jornalismo contemporâneo é imparcial, sem mácula, sem mancha, só narrando os fatos. Não mete a colher na história dos cônjuges e só acompanha a “água furando a pedra”, nada mais que isso. Mas isso é assunto para outro momento!

Segundo o jornalista Marco Antônio Araujo, a “coisa” no Estadão e na Folha foi assim, transparente! Agora, resta esperar se a Globo, o Globo e a Veja serão transparentes. Elas não são? Estou com a última edição ao meu lado, cuja manchete anuncia: “A Liberdade sob ataque – A revelação de evidências irrefutáveis de corrupção no Palácio do Planalto renova no presidente Lula e no seu partido o ódio à imprensa livre”. Precisa de muito estudo ou interpretação para entender que a Veja é tucana? Acredito que não!

As pessoas dizem espantadas para os leitores de Veja: “Você lê essa revista? Meu Deus!”. Isso virou clichê. Isso é nojento de se ouvir! É intelectualismo de plástico! Se querem ser realmente inteligentes, intelecutais e “indiscutíveis”, a pergunta correta é: “Você é tucano?”. Pronto! Assunto resolvido. Chega de falso moralismo!

Uma coisa é jornalismo de má qualidade. Outra coisa é ser adepto a um partido!

É fato que temos publicações que não são tão escancaradas quanto à Veja – destaque para a revista RollingStone que tem feito boas coberturas politícas. Mas, a escolha é de cada um! Temos Caros Amigos, Carta Capital, IstoÉ, Época etc.

A Globo fez 45 anos de televisão. Coincidentemente, fez uma exímia propaganda comemorando os 45 anos. Quarenta e cinco anos! Isso ficou tão marcado na propaganda, que foi necessário a retirada dela! 45 é número de quem?

Mas, caros amigos, se o mundo fosse imparcial, seríamos todos neutros a tudo e não teríamos opiniões. Seríamos robôs. Existiria apenas um partido político, uma religião, um centro de ensino, um sistema para tudo. O mundo seria uniforme e assim também seria o nosso pensamento! Para alguns, uma situação ideal, com ressalvas. Para outros, não.

Talvez seja o caso de as instituições de ensino reformularem seus pensamentos ao ensinar que o jornalismo deve ser imparcial! Isso não existe! Eu não aceito isso! Se o Jornalista é mesmo um formador de opinião e visa o bem estar social, não basta apenas narrar um fato! Dialética é tudo e junto dela a opinião e o respeito. Respeito, sempre!

O jornalista deve ser crítico ao narrar um fato! Caso não for, como obter situações ideais? Por isso sou adepto do novo jornalismo – que seja terceiro ou quarto jornalismo. Com argumento, respeito e dialética seguida de atitude, os resultados são bem mais expressivos do que apenas narrar um acontecimento!

Obrigado.

@misaelmainetti / misaeljornalista@gmail.com

Observações:

– Não sou petista. Não sou tucano. Não sou de nenhum partido. Não confio no homem. A nossa compreensão dos fatos não é boa. Não conseguimos dirigir o nosso próprio passo. Fato!

Anúncios

2 Responses to “Argumento, respeito, dialética e atitude”


  1. 1 Fabi
    30 de setembro de 2010 às 8:27 pm

    “O mundo inteiro, jaz no poder do iníquo”…”Não é do homem que anda o dirigir o seu passo”.

    A máfia existe, e não é só nos filmes que assistimos…
    Na política e no jornalismo, também!!!

  2. 2 maria inês
    1 de outubro de 2010 às 5:47 pm

    Misael,

    Conferi este e gostei. Vc. é corajoso!
    Tecnicamente, porém, é preciso distinguir, no jornalismo, a função do reporter da do articulista. O repórter administra a notícia = narrativa de fatos. O articulista assina textos opinativos – fatos + opinião – objetivos ( em 3a pessoa) ou subjetivos (1a pessoa).

    Abraço.
    Mines


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Vanguarda

setembro 2010
S T Q Q S S D
« ago   out »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Twitter

Fucking visits

  • 20,401 hits

É importante: Planeta Terra e sustentabilidade


%d blogueiros gostam disto: