03
set
10

É fogo!

O nome do wordpress, ou blog, como você preferir, leva meu nome de jornalista (em formação, ok!) seguido do “Pero pienso que és importante”. Não se engane, só falo duas línguas – português e inglês. Por mero modismo de quem fez alguns meses de espanhol e aprendeu que salada, em espanhol, é ensalada, coloquei o nome desse modo. Ou seja, tudo que penso que é importante – para você e para mim – posto aqui.

Assunto que vem me chamando muito a atenção nesses dias é produto da combustão. Pois bem, estou me referindo ao fogo. Tempo seco e as queimadas estão se alastrando cada vez mais. Será isso ação apenas do tempo ou ação de um ser com dez dedos nas mãos e outros dez dedos nos pés?

Fogo santo e profano – Dados

Nunca se ouviu falar tanto em sustentabilidade. A preocupação das empresas – real por parte de alguns, plastificada por parte de outros – fez surgir oficinas, debates, estilos, profissões etc. no que diz respeito ao meio ambiente.

Infelizmente, nos últimos meses, as cenas assimiladas não são das melhores. Muito menos o cheiro. O número de queimadas em todo o Estado de São Paulo, até o mês de agosto, já superou o registrado em todo o ano de 2009. Mais de 22 mil focos de queimadas foram registrados em 2010. A diferença é pouca, porém, se atente: não encerramos o ano.

2009: 22.075 casos em 12 meses (apenas no Estado de São Paulo)

2010: 22.680 casos em 8 meses (apenas no Estado de São Paulo)

Dados de Ribeirão Preto, por exemplo, costam que os casos de incêndio registrados subiram 80% em relação à 2009. Em Campinas, estão sendo registrados 15 a 20 focos de incêndio por dia! E a umidade do ar nunca esteve tão baixa na história – São Paulo pode muito bem o dizer.

 

Fogo santo e profano – Evite queimadas!

A Legislação Brasileira não proibe as queimadas, mas também não fiscaliza como bem deve ser, visto que todos os anos a população brasileira enfrenta o infortúnio das queimadas e, os responsáveis, quase nunca são “responsabilizados”. A situação se repete todos os anos. O cenário é sempre o mesmo: o verde se tornando preto, as folhas se tornando pó…

Há recomendações no que diz respeito a realização de queimadas – área, espaço, treinamento etc. Como essas “normas regulamentadoras” não são acatadas, utilizemo-nos de conselhos práticos para evitar as queimadas, consequentemente evitar as doenças e a mortandade do meio ambiente.

Os conselhos para evitar as queimadas são simples:

1 – Não realizar queimadas;

2 – Se realizar queimadas, agir de acordo com a Legislação.

Simples, não é? A Legislação relata:

– Construir aceiro em torno da área a ser queimada, que deve ter, no mínimo, 3 metros de largura (essa largura deve ser duplicada nos casos de áreas florestais, de vegetação natural, de preservação permanente e das protegidas pelo Poder Público);

– Providenciar pessoal treinado, com equipamentos apropriados, para atuar no local da queima, evitando que o fogo passe dos limites estabelecidos;

– Avisar aos vizinhos a data e a hora de realização da queima.

Mas, listemos algumas boas ações e práticas que evitam o “gênesis” dos incêndios. Atente-se!

1 – Realizar queimadas de forma controlada e sempre com a construção de aceiros – barreiras que impedem a propagação das chamas. O aceiro pode ser construído em forma de vala, obstruindo a passagem do fogo.m forma de vala ou limpeza do terreno de modo a obstruir a passagem do fogo.

2 – Ao fazer uma fogueira, evite que o vento carregue as brasas para a mata (ou para perto de sua barraca) aravés de uma ação simples: apagando o fogo com água! Caso a água acabar, enterre as brasas!

3 – A famosa “bituca de cigarro”. Não jogue a bendita nas vegetações. Antes, apague-a e procure um lixo, reservatório ou algo do tipo – longe de materiais inflamantes.

4 – Proibição das queimadas em áreas de reservas ecológicas, de preservação permanente, parques florestais, zoológicos etc. 

Fogo santo e profano – De quem são as mãos?

Concluí-se portanto que, nós, seres humanos, estamos causando as queimadas e incêndios, destruindo o lar dos animais, o ecossistema e o meio ambiente. Portanto, mão na consciência: lixo no lixo, fogo apagado, conversação das mananciais e tudo mais para prevenir quaisquer tipos de destruição. Sustentabilidade é tudo!

Para a conscientização, não bastam apenas os debates. É necessário que as pessoas reflitam sobre o assunto – as pessoas tem o incrível poder de refletir sobre os diversos assuntos, mas pouco o fazem. É necessário utilizar essa ferramente da nossa faculdade de raciocínio. Além dos debates, da conscientização e da reflexão, as consequências teoricamente devem servir como lição!

 

Twitter: @misaelmainetti

Anúncios

3 Responses to “É fogo!”


  1. 1 fabi
    3 de setembro de 2010 às 5:44 pm

    Conscientizada!

    Poxa! Me tocou o coração as imagens desses bichinhos queimados.
    O que poderia eu fazer para ajudar mais[?]

    Me sinto tão impotente diante de . . .

    Obrigada pela reflexão.
    amo Te.

  2. 2 Nathalia
    8 de setembro de 2010 às 12:43 pm

    Parabéns amigo!
    Um assunto muito importante e que as pessoas realmente deveriam pensar. Não porque é moda falar de meio ambiente, mas sim porque a situação está a cada dia mais preocupante.

    beijos

  3. 9 de setembro de 2010 às 2:25 pm

    Poxa, este menino queima!
    Legal a conscientização.
    bj


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Vanguarda

setembro 2010
S T Q Q S S D
« ago   out »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Fucking visits

  • 20,343 hits

É importante: Planeta Terra e sustentabilidade


%d blogueiros gostam disto: